Produzindo no Brasil – Parte 2

Produzindo no Brasil – Parte 2

Aprovamos o Job….uhuuu muitos sorrisos, alegrias…

O maior fator chave de sucesso (FHS), será a pré produção, pois sempre que ela é bem feita, a quantidade de imprevistos cai verticalmente.

A pré produção nada mais é que o planejamento de execução do job, e ela é aplicada em coberturas, produções publicitárias, institucionais e etc.

Cobertura

A cobertura é evento único, não é possível repetí-la, se a foto não é feita, temos um problema, por isso precisamos nos municiar da maior quantidade de informações possíveis, tais como:

  1. Necessita credenciamento? Quem irá fazê-lo?
  2. Dia, hora e local do evento;
  3. Serão necessários captions;
  4. Há celebridades ou pessoas públicas;
  5. E acertar como será feita a entrega.

Além disso, e de vital importância um briefing, que contenha a história do evento e a história que o cliente quer contar do evento, e que o material captado, contemple ambas as histórias.

Produção Institucional ou publicidade

O primeiro ponto é comunicar o fotógrafo que o job foi aprovado, e checarmos  quais as datas disponíveis. Após isso, agendamos uma reunião entre a direção de produção, fotografo e o cliente. O cliente apresenta o briefing e produção o cronograma. (Em alguns casos, dependendo da natureza da fotos é importante que ou o produtor de moda, locação ou maquiador esteja presente.)

 Locação – aonde serão realizadas as fotos

Se for em um estúdio, precisamos ver se o estúdio, comportam a produção, quais as datas disponíveis e qual cor de fundo o cliente quer que as imagens sejam feitas. Lembrando que a melhor cor para recorte de imagem não é verde (chroma key) nem branca, e sim cinza, de preferencia neutro.

Se a foto não é em estúdio, é necessário um produtor de locação, ele normalmente faz uma pesquisa prévia, apresenta opções, e estas serão apresentadas ao cliente. Sempre recomendo que o cliente escolha 2 ou 3 para fazer a visita, e sim, e muito importante fazer a visita, pois há diversos cases de locações que eram lindas nas fotos apresentadas, e na real, bem…Mas visita é fundamental para produção também, pois nela aspectos como luz, tomadas, vizinhança, horários podem ser checados e avaliados.

Casting – quem estará nas fotos

Em paralelo a locação, a produtora de casting começa a sua pesquisa de possíveis modelos, atores, ou pessoas “reais”, adequadas para o trabalho. É definido junto a direção quando pode ser feito o casting ao vivo, pois assim como a locação, o modelo pode ter engordado, cortado ou pintado o cabelo, é sempre muito interessantes, fotos atuais. O tema do cache-teste normalmente não aplicado na fotografia somente em produções fílmicas.

Reunião de aprovação – Hora de bater o martelo

Após o scooting (locação) e o casting ao vivo (modelos) é feita uma nova reunião com o cliente, onde serão apresentadas as opções, para que haja a definição. É interessante também que os produtores de moda e objetos façam uma breve apresentação do que eles pesquisaram e pretendem usar nas foto.

Atualizamos o cronograma, definimos horários, e caso haja crianças damos entrada no processo de alvará (São Paulo)

Especificamente no caso dos modelos, é interessante ter um plano B, caso algum modelo não possa no dia.

As datas e horários são repassadas a toda equipe, o transporte é agendado e é passado qual o itinerário que ele terá que fazer. Em paralelo, definimos a alimentação, lembrando que é interessante saber se o cliente tem alguma restrição alimentar, para que haja opções.

E finalizamos a pré produção com a Ordem do dia, um documento que consta, local, horário, nome e contato dos profissionais envolvidos e que deverá ser passado para a equipe inteira.

(foto: Luiz Paulin)

No Comments

Leave a Reply